As Zonas Húmidas são a nossa vida

Natureza 

by Nós por aí | 2021-03-30


As zonas húmidas são dos habitats mais sensíveis e produtivos do mundo. Cada vez mais ameaçados e a desaparecerem, poderão desencadear uma sucessão de perdas ambientais que afectarão o futuro da humanidade. Preservá-los é imperativo!

As zonas húmidas são todas as áreas alagadas, em permanência ou não, das quais fazem parte habitats tão diversificados como rios, estuários, lagos, turfeiras, charcos, mangais, oásis, recifes de coral, entre outros.

Embora a designação de “Zonas Húmidas” possa passar ao lado de muitos de nós, estas áreas estão presentes na maior parte das viagens que fazemos, cá e lá fora. Quem nunca ficou deslumbrado com as paisagens dos campos de arroz em Bali (na Indonésia), com o os estuários do Sado ou do rio da Prata (na Argentina), com os canais de Veneza, com as lagoas na Serra da Estrela ou com a grande barreira de coral na Austrália.

Lagoa da Candeeira, Serra da Estrela

Lagoa da Candeeira, Serra da Estrela (fotografia de José Conde)

 

Gondola em Veneza

Canais de Veneza

Se queremos continuar a visitar e a descobrir lugares como estes, alguma coisa terá de ser feita para os proteger, com urgência.

Com vista à preservação destas zonas, que desde 1900 cerca de 64% já desapareceram em todo o mundo, foi criada, em 1971, a Convenção Ramsar cuja principal missão é “a conservação e utilização racional de todas as zonas húmidas através de acções locais e nacionais e cooperação internacional”.

Para despertar para os problemas e a necessidade de lhes dar atenção, em março, assinalou-se o Dia Mundial das Zonas Húmidas um pouco por todo o mundo, Portugal não foi excepção.

Estes ecossistemas são dos mais produtivos e com maior biodiversidade, sendo habitats fundamentais para a preservação de espécies ameaçadas, servindo de abrigo, áreas de alimentação para aves migratórias e outras espécies, locais de desova e reprodução para peixes e anfíbios. Cerca de 40% de todas as espécies do mundo vivem ou reproduzem-se nestes ambientes.

Estuário do Sado

Estuário do Sado, Gâmbia

A importância das zonas húmidas nas nossas vidas é muito maior do que muitos de nós imagina. Armazenam 30% do carbono terrestre, combatendo desta forma o efeito de estufa – as turfeiras armazenam duas vezes mais carbono do que as florestas, purificam a água, de forma natural, retendo substâncias poluentes que acabam por se transformar em elementos inofensivos, água esta, utilizada depois na agricultura e para consumo humano. Protegem-nos contra as inundações, cada hectare de pântano pode absorver cerca de 171 milhões de litros de água das cheias. Os mangais reduzem o impacto das ondas marítimas causadas por tempestades prevenindo inundações na linha costeira.

É urgente proteger estes habitats tão sensíveis que estão gravemente ameaçados pela invasão urbana, pela imparável poluição, agricultura intensiva, caça excessiva, pesca e turismo desenfreado. Mais de mil milhões de pessoas dependem das zonas húmidas.
O futuro está nas nossas mãos!

 

Foto de capa: Lagoacho das Favas, Serra da Estrela (fotografia gentilmente cedida por José Conde do CISE)

Este artigo foi atualizado no dia 2021-03-31.

Se encontrou alguma incorreção neste artigo, por favor, diga-nos.


0 Comentários

Deixe o seu comentário! (tem de efectuar o login para deixar comentário)

Porque a vida é uma viagem...