Um dia nos Passadiços do Paiva

by Nós por aí | 2018-07-28 | Portugal

Os Passadiços do Paiva, localizados na margem esquerda do rio Paiva (afluente do Douro), entre Espiunca e Areinho no concelho de Arouca, são uma magnífica referência de turismo de natureza, não só para a região de Arouca mas também a nível nacional. Nós fomos comprovar.

Ao longo do percurso de cerca de 8 Km, entramos num território antes quase inacessível, com paisagens de cortar o fôlego.

Passadiços

Início dos Passadiços

Comprados os bilhetes online (as entradas são limitadas), inicíamos o percurso por volta das 9 horas, pela Espiunca. Há quem diga que é melhor começar por Areinho, mas, independentemente das opiniões, neste dia o percurso estava interdito desse lado uma vez que decorriam trabalhos de manutenção. Neste momento está a decorrer também a construção de uma nova ponte de vidro suspensa (diz-se que será uma das maiores do mundo).

O dia estava fresco, sem muitos caminhantes, (pelo menos até às 11 horas da manhã). O percurso foi feito sem grandes dificuldades, para nós e para os miúdos.

Este trajecto acompanha o rio Paiva por vales de muita beleza.

Rio Paiva

Rio Paiva

Se por um lado deixamos de ter passadiços em algumas zonas e andamos por trilhos de terra, por outro, se não existisse a estrutura suspensa de madeira não seria possível continuar o percurso.

Passadiços

Estrutura suspensa dos passadiços

O extraordinário desta obra, e quanto a nós é de louvar, é a integração dos passadiços no local. Além do impacto visual ser discreto, podemos andar no meio da natureza sem afectar muito a biodiversidade.

Ao longo do percurso existem alguns miradouros e escadas que nos podem levar até ao rio.

Passamos pela Gola do Salto onde no inverno as águas estão revoltas e a prática de desportos como o canyoning são geralmente praticados.

Gola do Salto

Gola do Salto

Mais ou menos a meio do percurso encontramos a praia fluvial do Vau, onde almoçamos e aproveitamos para dar um mergulho no rio. Neste local existem casas de banho, algumas mesas e um pequeno bar de apoio. Caso não queira continuar,  pode pedir um taxi que o virá buscar.

Praia do Vau

Praia fluvial do Vau

Continuando o percurso, pouco depois da praia tem uma ponte suspensa que nos leva à outra margem e por onde se pode seguir um trilho até Alvarenga.  A paisagem vista da ponte é lindíssima.

Ponte suspensa

Ponte suspensa

Como uma parte do trajecto estava encerrada, fizemos o retorno até Espiunca.

Já no regresso a Arouca, em Canelas, visitamos o Centro de Interpretação Geológica de Canelas onde podemos ver fósseis dos maiores trilobites encontrados no mundo (entre outros). Vale a pena visitar.

 

Algumas dicas

  • Compre bilhete online com antecedência, o parque tem um limite de entradas
  • No verão inicie logo pela manhã, quanto mais cedo melhor (confirme os horários de abertura)
  • Leve água, calçado e vestuário confortável
  • Leve um farnel e aproveite a praia do Vau para almoçar e recuperar forças para o resto do percurso
  • Respeite a natureza
  • Se fizer os passadiços com crianças aconselhamos a começar pela Espiunca, o percurso é menos exigente. Se a meio do percurso (Vau) estiverem cansados peça um táxi e regresse.


Partilhar:      

 

    #arouca  #geopark  #paiva  #passadicosdopaiva