Viajar pela história de Budapeste

| Hungria |

Unsplashed background img 1

Hungria 

by Nós por aí | 2022-01-06

Buda, Obuda na margem direita do Danúbio, e Peste na margem oposta, são as três cidades que se uniram e deram origem à magnífica Budapeste.

O rio Danúbio, um dos maiores da Europa, separa o lado de Buda e de Peste e inconscientemente é esta a separação que se faz nas visitas à cidade. Começamos pelo lado de Buda e depois passamos para Peste.

O Castelo de Buda é sem dúvida o ponto central  da visita a Buda e do alto da colina onde se ergue, temos uma vista magnífica sobre a cidade, principalmente da margem de Peste onde se vislumbra o magnífico edifício do Parlamento Húngaro. Caminhando em direcção à Igreja de São Matias passamos pela residência oficial do primeiro-ministro da Hungria, um antigo convento das Carmelitas, construído em 1736 no mesmo local de uma antiga mesquita destruída em 1686.

Castelo de Buda

Castelo de Buda

 

Convento das Carmelitas

Convento das Carmelitas

A Igreja de São Matias fica logo à frente. Esta igreja foi construída entre os séculos XIII e XV e foi durante muitos anos o templo principal da cidade onde se coroavam reis e realizavam os casamentos da corte. A última coroação foi de dom Carlos IV o último Habsburgo que governou também a Áustria. A característica que salta à atenção é o seu telhado colorido.

Igreja de São Matias

Igreja de São Matias

Logo atrás desta igreja fica o Bastião do Pescador, cujas suas sete torres homenageiam as tribos fundadoras do país. Aqui, existe um magnífico miradouro de onde se podem avistar as pontes sobre o Danúbio, entre elas a Ponte das correntes (Széchenyi Lánchíd), que infelizmente estava tapada em restauro. A sua escadaria leva-nos até à zona mais baixa da cidade.

Bastião do pescador

Bastião do pescador

 

Ponte das Correntes

Ponte das Correntes e o Parlamento ao fundo

Na outra margem fica o Parlamento da Hungria. A melhor imagem deste imponente edifício talvez seja a partir da margem oposta. É talvez um dos edifícios legislativos mais antigos da Europa. Foi inaugurado em 1896 quando a Hungria celebrou o seu 1000º aniversário.

Parlamento da Hungria

Parlamento da Hungria

O Bairro Judeu também é um local que merece a pena ser visitado. Foi para aqui que muitos judeus, vindos de outros locais da Europa durante as Grandes Guerras, se refugiaram. Aqui construíram a maior Sinagoga da Europa, só a de Nova Iorque a consegue superar.

Sinagoga

Sinagoga

A sul da cidade, próximo da ponte de ferro (uma das pontes mais conhecidas da cidade) está o Mercado Central, construído em 1897, é o maior mercado coberto da Hungria. Aqui, podem-se encontrar vários quiosques de venda de produtos e no 1º piso zona de restaurantes e lojas de souveniers.

Ponte de Ferro

Ponte de Ferro

A Basílica de Santo Estevão na margem de Peste, é uma das maiores do país e homenageia Estevão I, o primeiro rei da Hungria e difusor do cristianismo neste país. No seu interior, para além da mão direita de Estevão I, podem admirar-se os belíssimos afrescos que retratam a vida do santo.

Basílica de Santo Estevão

Basílica de Santo Estevão

Outro ex-libris de Budapeste são as Termas. Conta com mais de 30 espalhadas por toda a cidade.

A vida noturna é bastante agitada e apesar do ambiente pandémico, à noite vêem se imensas pessoas nas ruas, nos bares, restaurantes e esplanadas. Como não poderia deixar de acontecer, visitamos o “Ruins Bar”, nada mais nada menos de um aglomerado de bares, com uma decoração ….algo peculiar.

A simpatia dos húngaros não é a melhor (ou não estamos habituados a este tipo amistoso de tratamento) mas a cidade é bonita e vale a pena conhecer.

hungria   Budapeste

País: Hungria
Idioma: Húngaro
Moeda: Florim hungaro (HUF)
Cód.Telefónico: +36
Fuso horário: +1 hora


 

Se encontrou alguma incorreção neste artigo, por favor, diga-nos.

Porque viajar seguro é importante
IATI Seguros de viagem


0 Comentários

Deixe o seu comentário! (tem de efectuar o login para deixar comentário)